mini Rio, the project


Rio de Janeiro is going through a period of broad visibility and great expectations, and everyone wants to know more about this special place on the planet: a charming, fun, chaotic, vibrant, contradictory, noisy and unforgettable city.


The mini Rio project is an extensive collection of pictograms and illustrations created specifically to visually introduce and celebrate the cultural patrimony of the city of Rio de Janeiro.


This work is an independent initiative, which has taken over two years

of dedication and is still growing, showing itself as an excellent platform for new professional opportunities.


>> Pictograms are simplified illustrations with the purpose of quickly and accurately communicating ideas and concepts in a non-verbal

way. They are visual models, usually presenting and eliciting only

what is indispensable for the recognition of the subjects.

























content research


When I started the mini Rio project I didn’t know I would make 100 pictograms, but after creating some illustrations of the city, I realized

I could expand the exercise to a huge spectrum of possibilities.

So, I started developing a subject list, finally establishing a hundred

as the goal to attain.


The thematic focus of mini Rio is very personal and it is based on my interpretation of the city. I wasn't worried about creating an ensemble of images to express a collective or 'official' view of Rio, and by doing so I'd have been equally arbitrary. In this sense, the project might well be called 'my Rio'.




















The content definition process was very challenging. Despite having made a wide research and examined each possibilities, I had to leave important things out and may have included pictograms considered not as representative to some people.


A number of decisions were merely visual: certain ideas simply didn't generate good graphics, while others worked very well with this representation technique. Some things were left out for subjective matters, such as degree of personal relevance, thematic diversity and political positioning. And other pictograms are not in the project plainly because I don't know all the places and stories of Rio de Janeiro.


I realized how impressive and culturally complex my city is, and it's

really nice to live in such a special place, even knowing it's not a bed of roses. And that's another important aspect of the project: mini Rio is not an idyllic presentation of the city. I wanted to portray the beautiful landscapes as much as the problems of this megalopolis, its contradictions and dangers. I haven't focused on the problems, nor wanted to leave them out.





















To conduct and balance the display of the pictograms, I sought to organize the topics into categories. The set is divided in: tourist attractions, culture (music, arts, museums, monuments, traditions), lifestyle (behavior, habits, spots), everyday (objects of daily life, services, urban equipment), nature (fauna, flora, landscape) and

issues. Some categories have obvious overlaps, and the final presentation reflects my interpretation of these items.



creation stage


For the creation of the pictograms almost 1500 images were collected

and produced. With these references in mind, I started to draw each pictogram carefully in a process that demanded attention to detail and technical accuracy. The set was created following well-defined rules such as: unfilled shapes (outline drawing), linear structure of uniform thickness, single color, rounded corners, no use of perspective, geometric alignment and standardized human figures.





















The language used in the project is purposely simple, due to the high level of complexity and particularity proposed by the content. Very abstract illustrations would obstruct the comprehension of pictograms.


The complexity of the ensemble and the huge amount of illustrations soon determined that the use of a rigid construction grid would be inappropriate, because it would limit the creative work with no gain in quality. I realized that the visual consistency would be forged by the repetition of similar basic characteristics, rather than excessively regular and geometric relationships.




















All pictograms were tested in pretty reduced size (less than 2 cm), to verify if it was still recognizable and if it kept the quality of the drawing. Some pictograms required dozens of versions and settings; others were constructed in a more immediate manner. I often had to redo a pictogram which was ready, just to emphasize the differences between a new drawing or simply to refine the project.























Some pictograms show details or images built from letters of the alphabet. In such cases, in order to fully integrate image and text,

I chose to develop a set of exclusive typefaces for the Project:

mini Tipo (mini Type), mini Gentileza (mini Kindness) and mini Tattoo.




























All typefaces have the same visual characteristics of the set of pictograms, namely rounded ends, uniform thickness and simplified shape. The mini Kindness alphabet was done exclusively to recreate

the traditional scriptures of the famous Prophet and wanderer of

the city.


Download the project fonts here.



+ 100 and mini Lab


A few steps from completing the list of 100 proposed pictograms,

I began to realize that some of them could have small complementary images, so I made it a standard throughout the set, creating the demand for another hundred pictograms, smaller and simpler, which allowed me to animate the illustrations in some specific applications and uses of the project.




















When the creation stage of the pictograms was finished, I've set foot

on a specific work period to experience the language created, called mini Lab. The purpose of this phase was to test the potential of further development and application of the mini Rio project. The images are made from expanded and combined pictograms, producing colorful designs, patterns, small animations, new pictographs, graphics and complex landscapes.





















next steps


The next stage of the project consists of commercial trading of this set of pictograms and derived images through partnerships, to create a range of licensed products and campaigns.


The project would not be complete if I couldn't tell a little more about each pictogram, and a book about mini Rio is already being produced. Visit this page occasionally to see what's new, or follow the project

























mini Rio carnaval


With the deserved reputation of being the largest popular party in

the world, the Rio Carnival is recognized worldwide for its exuberance and magnitude, and is characterized as the main event in the cultural agenda of Rio de Janeiro. Besides being a tourist event of major proportions, its preparation mobilizes thousands of workers and

has an important impact on the local economy, still running as an interesting connecting link between different social layers of the city.


Because of its importance and the extremely visual aspect of

their representations, the first expansion set of the mini Rio project

has been created to celebrate the spectacle of colors, music and exaggerations, through new pictograms, mini pictograms and many other derived patterns.


















The whole set includes essentially the emblems of the main samba schools of the city, some traditional blocks of street carnival and typical characters of this animated Rio party: the samba dancers, the animal game bankers, the baianas' wing, the pisser, the drum queen, etc. Traditions, details, curiosities, problems, figures and memories of

an unforgettable carnival.





Many people have helped on this project with technical tips, work, criticism and praise. My many thanks to:


Ellen Gonzalez ♥ and also Álvaro Franca, Ana Carol, Claus Peter,

Daniel Neves, Elisa Fonseca (mood), Evelyn Grumach, Felipe Campos, Glauco Kuhnert, Guga Bruno, Gustavo Ferreira, Gustavo Soares, Henrique Miyazaki, João de Souza Leite, Laura Klemz, Léo Schuery,

Lui Azevedo, Marcello Cals, Mari Bonadio, Pierre-André Martin,

Rafael Saraiva, Renata Freeland, Ricardo Esteves and Victor Marcelo.




Dedicated to Bia Chinelli,

who loved cute little things.

Lance Wyman (México 1968); Evelyn Grumach - PVDI (Rio Zoo, 1976); Gerd Arntz (Isotype, 1929); Otl Aicher (Munich 1972); Jonathan Barnbrook (Olympukes 2012).

mini Rio, o projeto


O Rio de Janeiro vive um período de grande visibilidade e expectativa,

e todos querem conhecer um pouco mais desse lugar especial do planeta: uma cidade charmosa, divertida, caótica, vibrante, barulhenta, contraditória e inesquecível.


O projeto mini Rio constitui uma extensa coleção de pictogramas

e ilustrações criadas com o objetivo de homenagear e apresentar visualmente o patrimônio cultural da cidade do Rio de Janeiro.


O trabalho é uma iniciativa independente, já consumiu cerca de 2 anos

de dedicação e segue em expansão, mostrando-se uma excelente plataforma para novas oportunidades profissionais.


>> Pictogramas são ilustrações simplificadas que tem por objetivo comunicar rápida e precisamente ideias e conceitos de maneira não verbal. São modelos visuais que, geralmente, apresentam apenas o

que é indispensável para o reconhecimento dos assuntos retratados.

























pesquisa de conteúdo


Não comecei o projeto mini Rio sabendo que faria 100 pictogramas, mas depois de criar algumas ilustrações sobre a cidade percebi

que poderia expandir esse exercício para um conjunto enorme de possibilidades. Assim, fui criando uma listagem de assuntos, até estabelecer como meta a emblemática contagem centenária.


O recorte temático de mini Rio é muito pessoal e baseia-se na minha interpretação da cidade. Não me preocupei em criar um conjunto de imagens que expressasse uma visão coletiva ou ‘oficial’ do Rio, por que isso seria igualmente arbitrário. Nesse sentido, o projeto poderia muito bem se chamar ‘meu Rio’.




















O processo de definição de conteúdo foi bastante desafiador. Apesar de ter feito uma grande pesquisa e analisado cada possibilidade, deixei coisas importantes de fora e talvez tenha incluído pictogramas que para algumas pessoas não são tão representativos.


Algumas decisões foram meramente visuais: certas ideias não geraram boas representações gráficas, enquanto outras funcionaram muito bem

com essa técnica de desenho. Algumas coisas ficaram de fora por questões subjetivas, como grau de relevância pessoal, diversidade temática e posicionamento político. E outros pictogramas não existem simplesmente por que eu não conheço todos os lugares e histórias do Rio de Janeiro.


Constatei que minha cidade tem uma complexidade cultural impressionante, e é legal viver em um lugar tão especial, mesmo que nem tudo sejam flores. E esse é outro aspecto importante do projeto: mini Rio não constitui uma apresentação idealizada da cidade. Eu queria falar das lindas paisagens, mas também dos problemas de uma megalópole, suas contradições e perigos. Não coloquei os problemas em foco, mas tampouco os deixei de fora.




















Para orientar e equilibrar o desenvolvimento dos pictogramas, busquei organizar os assuntos por categorias. O conjunto está dividido em: atrações turísticas, cultura (música, artes, museus, tradições, eventos), estilo de vida (costumes, hábitos, points), cotidiano (objetos do dia a dia, serviços, equipamentos urbanos), natureza (fauna, flora, geografia) e problemas. Algumas categorias apresentam sobreposições óbvias,

e a definição final reflete a minha interpretação destes assuntos.



etapa de criação


Para a criação dos pictogramas foram coletadas e produzidas quase

1500 imagens de referência. A partir dessas imagens, cada pictograma foi cuidadosamente construído em um processo que demandava atenção aos detalhes e rigor técnico. O conjunto criado segue regras bem definidas, como: formas vazadas (desenho por contorno), estrutura linear de espessura uniforme, cor única, acabamento arredondado, ausência de perspectiva, alinhamento geométrico e figuras humanas devidamente padronizadas.




















A linguagem visual utilizada no projeto é propositalmente simples, em

função do grau de particularidade do conteúdo proposto. Ilustrações muito abstratas dificultariam a compreensão dos pictogramas.


O nível de complexidade do conjunto e a enorme quantidade de ilustrações evidenciaram logo de cara que o uso de um grid de construção rígido seria inadequado, pois limitaria a ação criativa sem ganho de qualidade. Percebi que a consistência visual seria forjada

pela enorme repetição de características comuns e não por relações geométricas excessivamente regulares.




















Todos os pictogramas foram testados em dimensões muito reduzidas (inferiores a 2 cm) onde era possível verificar o grau de reconhecimento e a qualidade do desenho. Alguns pictogramas exigiram dezenas de versões e ajustes; outros nasceram de forma mais imediata. Muitas vezes precisei retrabalhar um pictograma já pronto, para diferenciá-lo de um novo desenho ou apenas para refinar o projeto.























Alguns pictogramas apresentam detalhes ou imagens construídas

a partir de letras do alfabeto. Nesses casos, com o intuito de integrar totalmente imagem e texto, optei por desenvolver três tipos exclusivos para o projeto: mini Tipo, mini Gentileza e mini Tattoo.




























Todos os tipos apresentam as mesmas características visuais dos pictogramas criados, como acabamento arredondado, espessura uniforme e estrutura simplificada. O alfabeto mini Gentileza foi desenvolvido exclusivamente para recriar as tradicionais escrituras

do profeta e famoso andarilho da cidade.


Baixe as fontes do projeto aqui.



+ 100 e mini Lab


Faltando pouco para terminar a lista de pictogramas proposta, percebi que vários apresentavam pequenas imagens complementares, e defini que isso seria um padrão em todo o conjunto. Assim criei a demanda

de fechar outra centena de pequenos pictogramas, menores e mais simples, que me permitiram animar as ilustrações em algumas aplicações específicas do projeto.




















Ao terminar a etapa de desenho dos pictogramas, defini ainda um período de trabalho especialmente voltado para experimentar a linguagem criada, chamado mini Lab. O objetivo desta etapa era

testar o potencial de desenvolvimento e aplicação do projeto mini Rio.

As imagens produzidas alternam pictogramas ampliados e coloridos, padronagens, pequenas animações, novos pictogramas, infográficos

e paisagens complexas.





















próximos passos


A próxima etapa do projeto consiste na exploração comercial deste conjunto de pictogramas e imagens derivadas, através de parcerias para a criação de produtos licenciados e campanhas.


O projeto não estaria completo se eu não pudesse contar um

























mini Rio carnaval


Com a merecida fama de ser a maior festa popular do planeta,

o Carnaval carioca é reconhecido mundialmente por sua exuberância

e magnitude, e caracteriza-se como o principal evento na agenda cultural do Rio de Janeiro. Além de ser um acontecimento turístico

de grandes proporções, seus preparativos mobilizam milhares de trabalhadores e tem um importante impacto na economia local, funcionando ainda como um interessante elo de conexão entre diferentes camadas sociais da cidade.


Por sua importância e pelo aspecto extremamente visual de suas

representações, o primeiro pacote de ampliação do projeto mini Rio

foi criado para celebrar esse espetáculo de cores, música e exageros, através de novos pictogramas, mini pictogramas e outras tantas padronagens derivadas.
















O conjunto criado contempla essencialmente os emblemas das principais Escolas de Samba da cidade, alguns blocos tradicionais do carnaval de rua e personagens típicos desta animada festa carioca:

os passistas, o bicheiro, a ala das baianas, o mijão do bloco, a rainha

da bateria, etc. Tradições, detalhes, curiosidades, problemas, figuras

e lembranças de um Carnaval inesquecível.





Muitas pessoas ajudaram este projeto a nascer, com dicas técnicas, trabalho, críticas e elogios. Meu muito obrigado à:


Ellen Gonzalez ♥ e também Álvaro Franca, Ana Carol, Claus Peter,

Daniel Neves, Elisa Fonseca (mood), Evelyn Grumach, Felipe Campos, Glauco Kuhnert, Guga Bruno, Gustavo Ferreira, Gustavo Soares, Henrique Miyazaki, João de Souza Leite, Laura Klemz, Léo Schuery,

Lui Azevedo, Marcello Cals, Mari Bonadio, Pierre-André Martin,

Rafael Saraiva, Renata Freeland, Ricardo Esteves e Victor Marcelo.




Dedicado à Bia Chinelli,

que adorava fofuras.


CRÉDITOS:  vídeo mini Rio |  direção: Glauco Kuhnert // produção: Victor Marcello // direção de fotografia: Glauco Kuhnert // assistente de câmera e técnico de som: Henri Passos // externas: Lui Azevedo & Fabio Lopez // roteiro: Priscila Midori // edição: Daniele Pimentel // trilha: Guga Bruno // legendas: Ellen Gonzalez // produção: FATO.  |  vídeo mini Rio carnaval |  roteiro e produção: Fabio Lopez  //  montagem, trilha e edição: Guga Bruno  |  tipografia  (produção): Gustavo Ferreira & Álvaro Franca  |  tradução: Ellen Gonzalez  |  web design: Fabio Lopez